caesamigoes.

Go to home caesamigoes.

Cães

Go to Cães.

dicas

Go to dicas.

Saúde...

Go to Saúde...

vídeos

Go to vídeos.

.

Pesquisar

Mostrando postagens com marcador animais de estimação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador animais de estimação. Mostrar todas as postagens

30/05/2016

cuidados com a casinha de cachorro - Dicas para Casa











Dicas para Casa

Veja os cuidados com a casinha de cachorro

Veterinária explica as vantagens e desvantagens dos tipos de casinhas



A médica veterinária Aline Hirosse, especializada em fisioterapia animal, explica que o ambiente onde o cachorro fica merece bastante atenção, principalmente no verão, época de chuva e calor. Isso é importante para a saúde do animal de estimação e também com a de toda a família.
A veterinária orienta sobre quais os cuidados os donos devem tomar e também qual o tipo de casinha de cachorro é a mais duradoura. Veja abaixo:

Casa de plástico x casa de madeira

A casa de plástico é mais fácil de higienizar. Ela é prática, leve e pode ser lavada com mangueira ou com balde com água e detergente. Se houver cheiro forte, pode ser usado água sanitária 50% (uma tampinha para um litro) e passado um pano úmido. Enxágue e, em seguida, passe um pano com desinfetante.
A maioria das casinhas é de polietileno, material atóxico. O ponto negativo é que elas duram menos ao serem expostas ao sol e à chuva.



As casinhas feitas de polietileno duram menos tempo quando expostas à chuva e ao sol (Foto: Reprodução/Pinterest)
Já a casa de madeira exige mais cuidados com a limpeza, mas é mais confortável para o bichinho e tem uma durabilidade maior. “A madeira absorve parte do calor e é resistente à chuva e ao vento. No frio, ela mantém o calor do corpo do animal”, comenta a especialista.
A casa de madeira com opção de tampa removível é a melhor para higienizar, segundo a veterinária.  “No final da limpeza, coloque um pano no fundo da casinha e coloque tudo por cima, prendendo esse pano. Assim facilita a limpeza”.
As casinhas de madeira exigem maior cuidado com a limpeza, porém tem maior durabilidade (Foto: Reprodução/Pinterest)
Aline recomenda que o dono use um impermeabilizador com cera natural toda vez que for fazer a limpeza. A aplicação deve ser feita assim que a peça for comprada. O morador deve encerar a parte externa da casinha, assim a água não será retida na madeira quando chover. Ela também diz que é necessário colocar “pezinhos” na base da casinha para que não haja absorção de água na base. Aline comenta que essas medidas evitam que surjam fungos. “Isso traz problemas para o animal e para os moradores”, comenta a médica.
Para a limpeza da casa de madeira, Aline orienta higienizar com água sanitária 50% (uma tampinha para um litro), passar um pano em toda a parte interna e deixar agir por 5 minutos. É necessário passar um pano seco e um outro pano com desinfetante ou com eliminador de odor, como o de citronela, por exemplo.

"É necessário fazer a limpeza da casinha de
cachorro 1  
vez ao mês, alerta Aline."



19/03/2016

Repelente caseiro ajuda a afastar pulgas e carrapatos de animais



Repelente caseiro ajuda a afastar pulgas e carrapatos de animais

 

Produto leva 

capim de erva cidreira,  

álcool 70, 

vinagre, 

água 

cravo.


Repelente ainda ajuda a cicatrizar feridas causadas por esses parasitas.

A associação de altas temperaturas e umidade pode ser prejudicial para cães e gatos. 

Além do mal estar, o tempo quente também pode trazer outro tipo de incômodo: os parasitas. Essa época do ano é ideal para a proliferação de pulgas e carrapatos.

E quem tem bicho em casa, sabe o quanto as pulgas atrapalham a vida dos animais. Para prevenir o problema, a estudante de farmácia Alessandra Diamante, de Paranavaí, no noroeste do Paraná, ensina a fazer um repelente caseiro.
O produto é barato e os produtos utilizados são naturais, o que não agride os animais. A receita caseira também tem alguns ingredientes que ajudam na cicatrização das feridas.
Repelente deve ser passado a cada uma hora (Foto: Reprodução RPC  Noroeste) 
Repelente deve ser passado uma vez por dia em
cães e gatos (Foto: Reprodução RPC Noroeste)
Repelente caseiro


Ingredientes

1)  Capim de erva cidreira ou citronela
2)  200 ml de álcool 70
3)  200 ml de vinagre branco
4)  600 ml de água
5)  Cravo

Modo de fazer:


Bata todos os ingredientes no liquidificador

Os itens precisam ficar bem triturados.

Logo depois, insira o produto em um borrifador. 

Não é necessário coar.


Recomendação

O veterinário João Elias Cabianca explica que a mistura não é tóxica ou prejudicial aos animais. "O repelente ajuda por pouco tempo, tudo depende da infestação do local. 

Não adianta passar se o ambiente onde o animal vive está cheio de pulgas e carrapatos", diz.

O repelente também não vai matar esses parasitas. 

"O ideal é passar um produto que extermine definitivamente esses parasitas. 

O repelente só vai afastar o problema, não vai acabar com eles", recomenda o veterinário.

O repelente pode ser aplicado uma vez por dia no cão ou gato. Mas, tome cuidado ao aplicar próximo aos olhos e focinho. Também é importante aplicar o produto nos tapetes
móveis, 

nos espaços onde os  
animais dormem.

fonte:  g1

 

28/05/2013

ter um bicho em casa contribui – e muito – para uma rotina antiestresse

"ter um bicho em casa contribui – e muito – para uma rotina antiestresse"

É comprovado: os animais de estimação ajudam a revitalizar o dia a dia com sua dose espontânea de antiestresse e fazem bem à saúde – sem falar na doçura de sua companhia.  

Prepare a casa para a chegada deles

Texto Carol Scolforo
Uma casa iluminada, com uma decoração afetiva, quintal gostoso e plantas prazerosamente cultivadas já tem muitos ingredientes para ser um lar feliz. 

 No entanto, basta somar um elemento e essa receita ganha ainda mais energia e vitalidade. 

Está comprovado cientificamente: ter um bicho em casa contribui – e muito – para uma rotina antiestresse, cheia de qualidade de vida. 
 
Não é à toa que o Brasil tem hoje 32 milhões de cães e 16 milhões de gatos, de acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Alimentos para Animais de Estimação, a Anfal Pet – isso, sem contar outros bichos. São números que não param de se multiplicar, assim como as histórias que você já deve ter ouvido sobre essa relação de amor incondicional: animais amam seus donos sem julgar seus defeitos – e é por isso que muita gente anda se rendendo a tantos miados e latidos. 


+ Confira ideias de cantos para pets


 
Esse é apenas um dos pretextos básicos para ser seduzido por um deles.


No mínimo, ter um "pet" eleva a autoestima humana e transmite segurança a quem está por perto.

A explicação é biológica: envolver-se coma natureza traz essa sensação de estabilidade.

“Esse contato nos revitaliza física e emocionalmente”, frisa a psicóloga paulista Denise Gimenez Ramos, coautora do livro Os animais e a psique. 
 
Fato é que, se você mora em uma casa, então, tem ainda mais motivos para adotar um bichinho.“Com certeza, um animal estará mais feliz em contato coma natureza, em um quintal, por exemplo, fora de um lugar fechado como o apartamento”, aponta Denise Gimenez. Afinal,a natureza também traz conforto biológico a eles, é seu hábitat primitivo.E assim, a relação entre humanos e animais não causa distúrbios aos dois. 


“É comum pessoas humanizarem bichos, o que faz mal a ambos”, afirma a especialista. Por isso, é preciso limitar um espaço para o animal descansar, que não seja fora de casa, mas que também não seja no quarto dos donos, por exemplo.

+ O animal de estimação e a casa
Territórios estabelecidos, é a vez de preparar a casa para recebê-los, observando detalhes importantes. 


Plantas tóxicas, como espirradeira ou comigo-ninguém-pode, devem ser evitadas no jardim. 

Já dentro de casa, manter a lixeira e materiais de limpeza longe dos animais é outro conselho da veterinária mestre e doutora em psicologia animal Hannelore Fuchs, de São Paulo, também especialista em comportamento humano.

“Animais pequenos gostam de cordas, então, é importante mantê-los distantes da fiação elétrica”, orienta. 

Na decoração, ela ainda indica retirar objetos quebráveis e controles remotos, para ninguém se decepcionar depois.
 


Além disso, é preciso educá-los para não roer móveis nem destruir a casa na ausência dos donos.  


Investir tempo e afeto na relação também ajuda a evitar distúrbios de comportamento.

“ Animais precisam de companhia, assim como todos os seres vivos, para serem felizes”, lembra a veterinária paulista Irvênia Prada, professora de neuranatomia da Faculdade de Medicina Veterinária da USP e autora do livro A alma dos animais.


Cinco motivos para adotar um animal 

 
Foto: Shutterstock

1. Não apenas cães e gatos provocam sensações positivas. 

Observar um peixe em um aquário pode ter efeitos semelhantes aos da hipnose, reduzindo a ansiedade em pacientes à espera de uma cirurgia, por exemplo. E melhor: aquários são obras vivas de decoração. 

2. Tanto para adultos quanto para crianças, interagir com animais diminui a pressão arterial. “Essa relação acalma e também mobiliza a sair da inércia”, diz a psicóloga Denise Gimenez Ramos. Um estudo publicado no British Journal da Royal Society of Medicine sustenta que quem tem um bicho em casa reclama menos de pequenos problemas de saúde, por isso, é mais feliz. 

3. Animais em geral também são bons aliados de adultos e crianças mais inibidos. “Para idosos, podem até ajudá-los a sair da depressão”, afirma Denise Gimenez Ramos. Com o peso desse argumento, recentemente, nos Estados Unidos, cães passaram a ser adotados em visitas hospitalares, com resultados visíveis na recuperação de pacientes.
 
4. Para a ciência, animais se integram tão facilmente em nossa vida porque possuem estruturas anatômicas idênticas às nossas. “Eles têm sensações, são inteligentes, têm memória e uma profunda sensibilidade de convívio com outras espécies e como ser humano”, analisa a médica veterinária Irvênia Prada.

5. Uma tese um pouco mais audaciosa sustenta até uma certa telepatia entre homens e animais. “O biólogo inglês Rupert Sheldrake, autor de Cães sabem quando seus donos estão chegando, diz que os cachorros se comunicam telepaticamente com os cuidadores humanos”, cita Irvênia Prada. 

Basta olhar fundo nos olhos deles para sentir essa interação mágica. 

fonte:
madaschutze

Seguidores

Google+ Followers

Seguir por e-mail

estatísticas